quarta-feira, junho 22, 2005

retrato baço

Image hosted by Photobucket.com




O monitor é branco. E as teclas, na pressão fluida e fácil, nas palavras deslizando dedos. Uma inclinação suave do corpo sobre a máquina, e domina-se a luz que fere os olhos. Dá-se um nome a uma personagem, inventam-se segredos. Mas nem sequer o mistério é definitivo, quando é gravado, ainda quase invisível.
Porque, de longe, um retrato desfocado mantém o sonho aberto, a prosa renovável.

2 Comentários:

Às 6:50 PM , Blogger jms disse...

«Uma inclinação suave do corpo sobre a máquina, e domina-se a luz que fere os olhos.»
Não conheço melhor definição para este ofício, magnífico e terrível, que é escrever.

 
Às 8:49 PM , Blogger António Ferra disse...

obrigado pela apreciação. Lindo blog, o seu. Talvez pela letra minúscula e pela capacidade de "cortar as coisas inúteis"

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial