quarta-feira, outubro 12, 2005

post(ais)

Image hosted by Photobucket.com


Não parece haver escassez de postais desta época. Continuam a encontrar-se facilmente nas feiras de velharias e antiguidades a preços que variam, em média, entre os 3 e os 5 euros. O que significa que eles foram produzidos em grande quantidade. Acho que a proliferação deste tipo de postais se deveu ao entusiasmo pela fotografia, às técnicas de reprodução e à (relativa) eficácia dos correios.
O postal funciona no culto da distância. Não há postal que não mencione a separação e, na falta de uma imagem própria do sujeito que envia, são utilizados imagens daquilo que imaginavam para si e para o outro.
Funcionavam como uma espécie de pré e-mails com anexo de imagem incorporado, alguns com legendas pré definidas. Assim, bastava que os utilizadores se integrassem neste ou naquele modelo de comunicação.

1 Comentários:

Às 10:43 PM , Blogger Bajoulo disse...

"Nenhuma Sociedade será capaz de olhar para o futuro se não for capaz de honrar o seu passado" - Quitéria Barbuda in "A Minha Candidatura", Revista "Espírito", nº 20, 2005.

www.riapa.pt.to

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial