quarta-feira, outubro 05, 2005

análises e sínteses


Baterias

Insisto no separador, porque há coisas que não podem nem devem ser misturadas, ou então encontram-se fundidas e é necessário separá-las. No primeiro caso temos a água e o azeite. E, numa bateria, o elemento positivo e o negativo - que criam entre si a tensão necessária ao seu funcionamento - são separados por separadores (os primitivos, feitos por Planché, eram de borracha). Ainda há poucos anos (e já noutros materiais) eram vendidos avulso. Destinavam-se à fabricação e reparação das baterias de automóvel, numa sociedade em que o consumismo (com descartáveis) ainda não se sobrepunha ao aproveitamento, conservação e reparação que proliferava durante a guerra e no pós-guerra, devido às dificuldades de produção fabril. Era vulgar refazerem-se baterias, introduzindo e combinando o que era necessário, como as placas de chumbo, ácido sulfúrico a água destilada...
Image hosted by Photobucket.com

Separador de nata

A separação da nata tem afinidade com o azeite, pois uma parte gordurosa separa-se de uma parte menos densa, neste caso através da centrifugação.
Image hosted by Photobucket.com
separador de nata sueco

Ópera

Contrariamente, um exemplo de uma grande fusão (barroca) que provém de elementos separados é a ópera, ao integrar, num todo, a poesia, o teatro, a música, os figurinos, a cenografia. Estes elementos podem ser separados numa atitude analítica, em contraponto com a atitude sintética, isto é, a junção de vários elementos para se obter um composto adequado a um funcionamento global.
Image hosted by Photobucket.com

1 Comentários:

Às 9:22 PM , Blogger julio pego disse...

Os separadores são muitas vezes indispensáveis no conflito, na confusão, na paixão fusão. Analógicamente, lembra-me tempos de infância, onde na taberna da aldeia, havia os homens "separadores" que tinham por função separar, apartar os brigões. Estes, tocados pelo álcool,desinibiam-se e deixavam surgir à superfície os conflitos latentes, familiares, de honra, de disputa de extremas, etc. Curiosamente, o meu pai (dono da taberna) obsequiava os "separadores" com mais um-copo- de-três...

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial