sábado, setembro 03, 2005

ÁGUA

Image hosted by Photobucket.com


Eles hão-de lá ir


Ali está a água a sair, às golfadas. Dirijo-me à Telepizza situada ao lado daquele desperdício. Manifesto aos jovens funcionários a minha raiva, o meu desgosto. Sim, sim, já telefonaram três vezes para a EPAL. Depois vou eu ao telefone, número grátis 800 201 200.

- Epal, boa tarde, fala a ...., (nunca me lembro dos nomes das pessoas que se apresentam num ritual normativo) em que posso ser útil?
- Olhe, a ruptura, ali a água a perder-se, numa altura destas (ameaço com a divulgação desta situação)
- Já avisei o piquete, vou avisá-los outra vez para lhes lembrar – responde ela num tom indiferente.

Volto à Telepizza e dizem-me que aquela sangria dura desde o meio-dia. Já são seis da tarde. Ligo novamente para o número verde, agora do telemóvel. O número não tem acesso por esta via, diz a gravação. Procuro uma cabine telefónica. Não há. A água continua a sair. Não perco mais tempo, tenho umas voltas a dar, esqueço a água por algum tempo. Eles hão-de lá ir, afinal aquilo é fácil e rápido. Eles hão-de lá ir.

3 Comentários:

Às 9:36 PM , Blogger Tiago Alves disse...

estou a ver que o antónio anda a prestar serviço público :P mas realmente é contraditorio. Tantas campanhas a favor da água, tantos "cortes", alguns até injustificados e uma coisa que, acredito, facilmente seria resolvida, continua a desperdiçar água.

 
Às 11:26 AM , Blogger maria joao martins disse...

Desgraçado país!

 
Às 12:40 PM , Blogger jms disse...

triste, muito triste.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial