quinta-feira, janeiro 14, 2010

Livro de Reclamações, as sátiras




















da contracapa:

Tanto verso, às vezes curto, a euro e meio
tanta sílaba dividida pelos cêntimos!
Vendem os poetas versos livres
ou as métricas saídas do paleio
onde se finge a dor que não se sente

(a poesia é caríssima)


e do miolo:
triste face a do país
em versos satirizado
por um poeta aprendiz
de rimas contra o estado

(reforma obscena do gestor de gravata rosada)

3 Comentários:

Às 11:51 PM , Blogger André Carvalho disse...

Promete :) O fragmento do miolo remeteu-me de imediato para Natália Correia.

 
Às 11:56 PM , Blogger António Ferra disse...

http://funcionamento.blogspot.com/2008/04/poesia-satrica-tem-o-seu-tempo-contado.html

 
Às 7:16 PM , Blogger José Luís disse...

Apenas o verso do O'Neill: "A poesia é uma coisa séria. Seria?"
Um abraço do José Luís Maia

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial