segunda-feira, janeiro 19, 2009

De onde é que vens? que eu até mais logo




















Um qualquer departamento de comunicação e publicações da Comissão Europeia deve ter-se esquecido de falar com algum português minimamente sensato para fazer uma revisãozinha no fabuloso texto que se transecreve:

- Olá, chamo-me Carla
Como é que te chamas?
- Paulo. De onde é que vens?
- Lisboa. E tu?
- Algarve.
Quantos anos tens?
- Catorze.
- Adeus!
- Até mais logo

Gostei particularmente do "De onde é que vens?
Tass memo a ver ké linguagem de concurso pior que essémiesses fora do contexto. Uma pessoa encontra outra e pergunta imediatamente de onde é que ela vem. Eu respondia logo como o Zé Mário Branco, "Eu vim de longe, eu vim de longe, o que eu andei para aqui chegar..."
Tambem gostei daquilo que os senhores portugueses que trabalham na referida Comissão (ou para a referida Comissão) disseram no fim "Até mais logo". É o que a gente diz, não é?
Lá que para exemplificar uma situação da língua portuguesa no quotidiano tivessem escolhido uma imagem de dois Albertos Joões a empurrarem uma turista grande num carrinho de verga com um Galo de Barcelos em cima, vá que não vá...
Até mais logo, então.





















Capa da recente brochura

sábado, janeiro 03, 2009

imperceptível Coca-Cola

video

vídeo de António Ferra

quinta-feira, janeiro 01, 2009

perda temporária de ligações

AVISO AOS VISITANTES

No fim do ano, andei a fazer experiências e acabei por eliminar os links habituais para os blogs que frequento.
Agora, calmamente, vou reelaborar outra lista. Alguns sei de cor a presença, outros serão omitidos por falta de lembrança, outros ainda serão novos aqui.
Os visitantes habituais vão ter que aguardar a reposição possível
Eu queria era recuperar a lista antiga e repor o velho sitemeter. Mas, nada a fazer.

para que serve um saca-rolhas?














A alavanca é um objecto rígido que é usado com um ponto fixo apropriado (fulcro) para multiplicar a força mecânica que pode ser aplicada a um outro objeto (resistência).


Nesta base se fizeram os saca-rolhas .


O da imagem merece o nosso respeito pelo rigor e determinação com que se apresenta. De reparar no design, com uma curvatura do cabo adaptável à mão. Este tem como acessório uma pequena lâmina serrilhada para cortar a protecção da rolha, antes do ataque perfurante. Consegue manter-se fiel à criação original, sem se perder na eficácia de outras novas tecnologias talvez mais eficazes pela redução da força humana a aplicar, mas mais afastados culturalmente da simplicidade do original.
Um amigo meu, que abriu com este, uma boa garrafa de "Quinta da Bacalhoa" para o último jantar de 2008, mostrou-se destro, seguro e confiante.
O espaço ainda para, numa das faces, se exibir a publicidade do promotor.














PS - Claro que nunca perdi a relação de semelhança e continuidade entre o saca- rolhas e o canivete.